Noticias

58 cidades de SP estão com mais de 80% de ocupação hospitalar

A Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) tem acompanhado diariamente a evolução da pandemia no estado e, em parceria com o Centro de Contingenciamento do Coronavírus, identificou 58 municípios paulistas que apresentaram, na média móvel dos últimos sete dias, capacidade hospitalar acima de 80% de ocupação para pacientes graves. Nove destes municípios já alcançaram 100% de ocupação. O levantamento foi elaborado com informações e dados da última quarta-feira (20). 

Os dados são disponibilizados pelo Censo Covid, que é abastecido diariamente pelos próprios hospitais, e variam dia a dia. O esgotamento de uma unidade hospitalar não significa necessariamente esgotamento de todo o sistema de saúde do município. O banco de dados do Censo Covid-19 baseia-se na medição de todo o sistema de saúde e seus respondentes (que contemplam tanto hospitais da rede pública, quanto da rede particular e ainda, incluindo entidades sem fins lucrativos). 

Na última sexta-feira (15), durante coletiva de imprensa, o Secretário Marco Vinholi já havia alertado 43 cidades que estavam com a capacidade hospitalar de leitos de UTI para Covid-19 acima dos 80% e que deveriam endurecer as medidas para contenção do vírus.  

“Desde a última reclassificação do Plano São Paulo, estamos alertando os municípios sobre alta na taxa de ocupação hospitalar. Recomendamos que as Prefeituras determinem a restrição total de atividades não essenciais para aliviar a pressão sobre hospitais públicos e particulares”, alertou o Secretário Vinholi.  

Ainda assim, o atendimento tem sido completo por meio do sistema CROSS, da Secretaria estadual de Saúde, que regula e encaminha internações conforme a necessidade de cada região e direciona o paciente para o leito disponível mais próximo. As regiões são divididas por DRS (Departamento Regional de Saúde), exatamente para facilitar o trabalho de encaminhamentos e transferências.  

O Governo de São Paulo está trabalhando com os gestores municipais para o fortalecimento da capacidade hospitalar desses municípios. Nenhum cidadão paulista ficou sem atendimento durante a pandemia e nem ficará. 

“Os municípios com taxa elevada de ocupação de leitos representam 9% do total do estado. Seguir as recomendações do Plano SP neste momento é fundamental para a contenção da transmissibilidade do vírus e a preservação de vidas. Vivemos a segunda onda da Covid e, mesmo com a vacina, é preciso continuar a seguir as orientações da ciência e da saúde”, reitera o Secretário Vinholi. 

Municípios com taxas de leitos UTI Covid-19 acima de 80% 

DRS 01 Grande São Paulo – Carapicuíba – 83,09% DRS 01 Grande São Paulo – Francisco Morato – 92,9% DRS 01 Grande São Paulo – Itaquaquecetuba – 100% DRS 01 Grande São Paulo – Mairiporã – 87,1% DRS 02 Araçatuba – Birigui – 82,64% DRS 02 Araçatuba – Ilha Solteira – 94,3% DRS 02 Araçatuba – Mirandópolis – 82,12% DRS 03 Araraquara – Américo Brasiliense – 100% DRS 03 Araraquara – Itápolis – 83,46% DRS 04 Baixada Santista – Itanhaém – 88,27% DRS 04 Baixada Santista – Mongaguá – 96,5% DRS 05 Barretos – Bebedouro – 93,16% DRS 06 Bauru – Avaré – 91,4% DRS 06 Bauru – Bauru – 90,69% DRS 06 Bauru – Jaú – 90,5% DRS 06 Bauru – Promissão – 100% DRS 06 Bauru – São Manuel – 97,2% DRS 06 Bauru – Taquarituba – 80% DRS 07 Campinas – Amparo – 97,13% DRS 07 Campinas – Artur Nogueira – 100% DRS 07 Campinas – Campinas – 80,47% DRS 07 Campinas – Itatiba – 100% DRS 07 Campinas – Socorro – 100% DRS 07 Campinas – Sumaré – 90,78% DRS 07 Campinas – Valinhos – 99,61% DRS 08 Franca – Franca – 86,87% DRS 08 Franca – Ipuã – 85,7% DRS 08 Franca – Ituverava – 92,39% DRS 09 Marília – Adamantina – 82,8% DRS 09 Marília – Assis – 80,42% DRS 09 Marília – Garça – 96,11% DRS 09 Marília – Marília – 86,52% DRS 09 Marília – Osvaldo Cruz – 94,62% DRS 09 Marília – Ourinhos – 83,06% DRS 09 Marília – Paraguaçu Paulista – 82,8% DRS 09 Marília – Santa Cruz do Rio Pardo – 97,36% DRS 09 Marília – Tupã – 99,07% DRS 10 Piracicaba – Araras – 94,39% DRS 10 Piracicaba – Piracicaba – 85,58% DRS 10 Piracicaba – Pirassununga – 100% DRS 11 Presidente Prudente – Dracena – 83,51% DRS 11 Presidente Prudente – Presidente Prudente – 96,93% DRS 13 Ribeirão Preto – Jaboticabal – 80% DRS 13 Ribeirão Preto – Serrana – 92,28% DRS 15 São José do Rio Preto – Fernandópolis – 100% DRS 15 São José do Rio Preto – Votuporanga – 86,38% DRS 16 Sorocaba – Apiaí – 81% DRS 16 Sorocaba – Capão Bonito – 85,8% DRS 16 Sorocaba – Itapetininga – 84,81% DRS 16 Sorocaba – Piedade – 94,2% DRS 16 Sorocaba – Porto Feliz – 100% DRS 16 Sorocaba – Sorocaba – 86,55% DRS 16 Sorocaba – Tatuí – 80,92% DRS 17 Taubaté – Cruzeiro – 97,46% DRS 17 Taubaté – Guaratinguetá – 80,11% DRS 17 Taubaté – Pindamonhangaba – 85,49% DRS 17 Taubaté – São José dos Campos – 84,71% DRS 17 Taubaté – Taubaté – 86,66%

As informações são da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Governo do Estado de São Paulo.



Rádio Luzes