Noticias

Griezmann x Messi: duelo rompe barreira espanhola e chega à Copa do Mundo

Lionel Messi e Antoine Griezmann estão acostumados a se enfrentar pelo Campeonato Espanhol. Enquanto o argentino sempre defendeu as cores do Barcelona, o francês passou por Real Sociedad e Atlético de Madrid. Agora, neste sábado, o duelo ultrapassou a fronteira da Espanha e vai ser visto de perto por todo o planeta. Os dois atacantes vão se enfrentar no encontro entre Argentina e França, na Arena Kazan, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, às 11h (de Brasília).

Detalhe: foi por muito pouco que eles não se tornaram colegas de time. Griezmann tinha proposta do Barcelona, mas decidiu renovar seu contrato com o Atlético de Madrid, surpreendendo a imprensa espanhola.

Na Copa, eles chegam em momentos parecidos, em busca de redenção dentro do Mundial. De um lado, Messi foi importante na classificação da Argentina ao marcar o primeiro gol da vitória dos Hermanos sobre a Nigéria por 2 a 1. Do outro, Griezmann foi importante no triunfo da estreia (contra Austrália). Apesar disso, nenhum dos dois foi brilhante até aqui na Copa do Mundo.

Neste sábado, os holofotes estarão voltados para as duas estrelas do futebol mundial. O curioso é que os dois goleadores jamais se enfrentaram em duelos de seleções. Mas no Campeonato Espanhol, o encontro é frequente. Já foram 24 partidas. E Messi venceu bem mais: 15 vezes, contra apenas quatro do francês. Também marcou mais gols: 17 x 6.

Mas o francês tem um dado a seu favor. Decidiu um dos principais duelos dos 24 em que encarou Messi: as quartas de final da Liga dos Campeões da temporada 2015-2016. Na partida em Madri, ele marcou os dois gols da vitória do Atlético de Madrid sobre o Barcelona. Naquela competição, os colchoneros teminaram na segunda posição ao perderem a final para o arquirrival Real Madrid.

Agora, chegou a vez de Kazan ver o encontro...

Griezmann busca redenção nas oitavas O atacante francês chegou ao Mundial com o destino em aberto. A dois dias da estreia na Copa, Griezmann revelou o seu futuro num documentário exibido por uma emissora de TV na Europa. Anunciou a permanência no Atlético de Madrid, preterindo uma proposta do Barcelona. Nada que, segundo ele, mudasse o seu foco no torneio.

Apesar das declarações do jogador, os companheiros admitiram que o atacante não esteve nos seus melhores dias. Para Olivier Giroud, o atacante ainda vai mostrar um grande futebol na Copa do Mundo.

– Ele teve uma temporada longa, desgastante. Jogou muitas partidas. É verdade que talvez ele sinta um pouco abaixo fisicamente. Mas ele vai se recuperar e ficar em forma para a competição. Quando estamos com um pouco menos de perna, é mais difícil ficar confortável no campo – afirmou Giroud.

A RMC Sports, da França, deu notas 5,5 para Griezmann contra a Austrália, e 4 no confronto diante do Peru (o segundo pior avaliado à frente apenas de Matuidi). No entanto, na estreia da Copa do Mundo, o jogador foi eleito o melhor da partida.

Griezmann está disputando a sua segunda Copa do Mundo. Até aqui, ele jogou oito partidas em Mundiais e marcou apenas um gol. Na atual edição do torneio, o francês tem mesmo deixado a desejar. O percentual de passes certos, por exemplo, é bem abaixo do normal: apenas 68%. E ele precisou de nove finalizações para deixar a sua marca na estreia, contra a Austrália (de pênalti).

Um Messi em evolução e sob pressão Uma estrela em evolução, mas ainda longe de brilhar tudo que é capaz na Rússia. E, mais do que nunca, a Argentina precisará de toda genialidade de Messi diante da França. Se aos trancos e barrancos foi possível avançar em um grupo com concorrentes que não são do primeiro escalão do futebol mundial, nas oitavas de final o adversário conta, indiscutivelmente, com mais talentos individuais. O que torna o poder de decisão do camisa 10 ainda mais vital.

Pela primeira vez, Jorge Sampaoli repetirá uma escalação desde que assumiu a seleção, há um ano. Justamente a que foi capaz de tornar Messi mais participativo diante da Nigéria. Depois de perder um pênalti e falhar na pontaria contra a Islândia e ser peça nula na derrota para Croácia, o craque conseguiu ser importante na partida decisiva, fosse livre no ataque, no primeiro tempo, ou depois armando as jogadas.

O crescimento do capitão argentino passa muito pela entrada de Éver Banega. Amigo desde os tempos de Rosário, o volante do Sevilla melhorou a saída de bola e aproximou-se de Messi no meio de campo, deixando-o mais livre e menos sobrecarregado. Foi dele o passe para o único gol de Messi até aqui na Rússia.

No total, são seis em quatro Copas do Mundo disputadas por quem vive a pressão da última chance de conquistar o troféu que falta nas quatro partidas restantes. É consenso na Argentina que um fracasso dificilmente o manteria na seleção até o Catar. O que só aumenta o grau de tensão para um duelo que preocupa Messi:

– Obviamente, vimos os jogos da França. Eles têm uma seleção completa, com jogadores individualmente de alto nível, rápidos no ataque, que fazem a diferença. Tenho um companheiro que conheço bem (Umtiti). Tem jogadores na frente, no meio. Vai ser um jogo muito complicado.

Em campo em todos os 290 minutos jogados pela Argentina até aqui na Rússia, Messi chega às oitavas ciente de que precisa melhorar a performance da primeira fase. Foram 14 finalizações, apenas cinco na direção do gol e uma até as redes. O craque cometeu quatro faltas, sofreu dez e acertou 134 dos 160 passes que tentou em 23.9km percorridos.

O confronto entre França e Argentina será transmitido neste sábado, às 11h (de Brasília), ao vivo pela TV Globo, Sportv e GloboEsporte.com. O site também acompanha em Tempo Real.



Rádio Luzes