Lula divulga carta a evangélicos e Bolsonaro recebe apoio de prefeitos do Norte

Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

PUBLICIDADE

Os candidatos seguiram em campanha nesta quarta-feira em SP e Brasília

O ex-presidente lula (PT) fez hoje a maior sinalização da campanha aos evangélicos até agora: uma reunião com cerca de 200 líderes religiosos, seguida pela divulgação de uma carta com compromissos para esse segmento da população.

Lula afirmou que é pessoalmente contra o aborto, ressaltou que as decisões a respeito do tema são do congresso, exaltou a importância da família, do trabalho dos pastores e da fé. Ele negou que vá fechar igrejas, e na carta, lida pelo ex-secretário geral da presidência, afirmou que ataques com uso da religião não podem ser armas eleitorais.

O comando da campanha espera que o gesto de lula aumente em pelo menos 20 por cento o número de votos entre os evangélicos, com reflexos entre os católicos. A intenção da carta é também diminuir a rejeição do ex-presidente nessa parcela da população.

Ontem, o ex-presidente participou de um podcast, e bateu o recorde de Bolsonaro, com mais de um milhão de visualizações simultâneas. Ele abordou a declaração do presidente, que disse ter “pintado um clima” com meninas venezuelanas.

No fim do dia, lula esteve em porto alegre para uma caminhada. O ex-presidente afirmou que não pretende divulgar novas cartas com o objetivo de se aproximar de outros setores, como o agronegócio. E ressaltou que se for eleito, não vai faltar crédito para o homem do campo. Amanhã, lula segue para o rio de janeiro.

Já o presidente Jair Bolsonaro passou o dia em Brasília. Ele dividiu agenda entre compromissos oficiais e de campanha. Pela manhã, recebeu parlamentares de Goiás e à tarde prefeitos do norte e nordeste, que vieram declarar apoio a reeleição.

Ao lado de Paulo Guedes, ministro da economia, Bolsonaro agradeceu. E disse que a redução do ICMS contribuiu para melhorar a vida das pessoas.

“Deixo claro que nós sempre tratamos com respeito os municípios de todo o brasil, independente da posição político partidária de cada prefeito. E nós sempre dispensamos recursos aos mesmos de modo que há dois anos não se tem notícia de atraso de pagamento ou parcelamento de décimo terceiro, além de transferência de fundos constitucionais, que cada vez mais vai sendo ampliada. É a nossa política de menos Brasília, mais brasil” afirmou.

No fim do dia, em entrevista para um site de notícias, o Presidente reforçou o compromisso com os prefeitos. Ele anunciou que vai criar uma secretaria de atendimento aos municípios.

Nesta quinta, Jair Bolsonaro faz campanha em São Paulo, maior colégio eleitoral do país.

Fonte. Band.com

Foto:Divulgação

Acesse Também